Este blog possui atualmente:
Comentários em Artigos!
Widget UsuárioCompulsivo
Instagram

Google+ Followers

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Surreal - Capítulo 7

No lugar errado

Já no dia seguinte embarquei de volta ao Brasil.
Ainda no aeroporto de Cumbica em São Paulo, resolvi ligar para Johnny mentindo que ainda ficaria mais 2 dias em Valencia.
Estava muito estressado, queria sair um pouco da rotina. Hospedei-me então no primeiro hotel paulistano que achei no caminho.
Não era um 5 estrelas ou pelo menos 4 estrelas como o Turia da cidade espanhola, mas afinal era um hotel para descansar.
Procurei informações sobre os melhores lugares da cidade para ir. Os melhores bares, restaurantes, baladas. Já que ganhava um salário alto, queria mais é me esbaldar. Fiquei em dúvida onde ir, acabei decidindo por assistir a banda Dead Fish na "Inferno Club".
Sexta-feira, 22:00hs da noite.Já estava pronto para ir ao show quando ouço alguém batendo na porta do meu quarto de hotel.
- Quem é?
Ninguém respondeu, voltei a perguntar...
- Quem é?
Novamente não obtive resposta e ouvi batidas mais fortes.
Sai correndo abrir. Para meu espanto não havia ninguém.Um forte arrepio percorreu meu corpo.
Olhei para todos os cantos, o corredor do hotel estava vazio.
Tranquei a porta e fiquei me perguntando se estava ficando louco.Controlei meus nervos, respirei fundo e voltei a me arrumar.
Já por volta das 22:50 cheguei à casa de shows.
Eu era um estranho no ninho. No meio de alternativos, punks, clubbers e tantas outras tribos, eu simplesemnte não conhecia ninguém.
Já dentro do recinto, fui direto ao bar. Enquanto embriagáva-me novamente de Campari, percebi que uma mulher me observava de longe. Fiquei intrigado, tenso. Não sabia se aquilo era bom ou ruim.
O show começou...
Paguei minha conta até o momento e fui para a pista.
Afastei-me da "roda de pogo", afinal não estava em condições de ficar no meio daqueles malucos e tomar socos involuntários.
Me divertia bastante com o som hardcore, o "mosh" do vocalista, a galera toda cantando...
Novamente percebi que a mesma mulher continuava a me fitar.
Sentia-me incomodado, resolvi ir ao banheiro para disfarçar um pouco.
Enquanto jogava um pouco de água no rosto, fui abordado por um rapaz.
- E ai, blz?
- Blz!
- Curtindo o show?
- Opa, tá bom demais né, os caras são fodas, "mandam muito bem"!
- Pois é! E você veio com quem?
- Sozinho! Na verdade estou aqui escondido,rsrs.
- Haha, que legal!
E neste momento senti sua mão apertando meus genitais...
- Pow cara, não tô afim não!
- Ué, mas você está sozinho aqui!Qual o problema?
- Na boa cara, tenho um relacionamento sério e amo muito meu namorado. Não vou traí-lo! Vou nessa!
O rapaz se enfureceu...
- Vai filho da puta, some então fielzinho de merda. Some ou senão te mato aqui mesmo.
E percebi que ele tirou um canivete do bolso.
Sai rapidamente e assustado, esbarrei em várias pessoas até encontrar a saída da casa noturna. Só pensava em voltar à minha hospedagem.
Pra minha sorte, um táxi passava no momento, pedi carona.
Alguns minutos depois ja estava no hotel.Ao pegar minha chave na portaria, deparei-me novamente com aquela misteriosa mulher que me olhava na casa de shows.
Não dissemos nada um ao outro e cada um seguiu para seus aposentos.
Que noite era aquela? Fantasmas batendo na porta, um psicopata no banheiro, uma mulher que parecia me perseguir...
Eu tinha que relaxar, desencanar...
Fui tirando minhas roupas e jogando pelo quarto, liguei a ducha.
Tomava banho tranquilamente até que ouvi um barulho no quarto.Pensei ser o vento pois a janela estava aberta.Continuei a banhar-me.
Ouvi batidas idênticas àquela da porta e um vulto passando pelo box.
Gelei!
Mesmo fazendo parte de um grupo de criminosos e tendo vivido situações de extremo perigo, eu tinha direito a sentir medo.
Desliguei o chuveiro, enrolei-me na toalha e abrindo a porta do box comecei a revistar todo o quarto. Não havia ninguém.
Sentei-me na beira da cama, tentando esquecer dos sustos, mas não conseguia...
O sono foi chegando e eu nem havia vestido uma cueca. Parecia estar em transe, mil coisas passavam pela minha mente.
Novas batidas na porta...fui abrir...
- Você?

Continua...

Confira o capítulo anterior

* Esta é uma obra de ficção. Qualquer semelhança com fatos ou pessoas reais é mera (e trágica) coincidência.

8 comentários:

Serginho Tavares disse...

Que tenso este capitulo!
Por favor, não demore e publique loooooooogo o 8°

Beijos

Le Voyeur disse...

#teeeeenso
e deve ser a mulher misteriosa la na porta querendo te dar uma noite daquelas!
aloka
kkkkkkkkkkkkkk

abraços
voy

Paulo Braccini disse...

#tensoinextremis

bjux

;-)

«╬♥ LADy M«╬♥ disse...

uiiiiii adoriiiii to aki esperandu o proximo ansiosicima kkkkkkk apesar de estar morrida kkkkkkkkk bjs

pinguim disse...

Continua nuzinho, mas desenvolve...
Seria um travesti????

Toninho Botelho disse...

Meu amigooo... eu não tinha lidoo aiinda... mas voou te coontar, é mtoo interessante... Vooc tem um talentoo e tantoo...

Abraçoos!!!

Senhor da Vida disse...

Muito meda mesmoo!

Arsênico disse...

Sério... o senhÖr andou tendo aulas com o Hitchcock? Pelo amor héim? To passádãn... aliás... iria mesmo dizer isso::: Depois de me matar... matar a Lady M... acho que o senhÖr deveria ser menos amedrontado...

agOra to tenso pra saber quem estava no quarto contigo... será a próxima vítima após uma noite de sexo quente?

???

***

umBeijo!

;D

Siga-me no Twitter

Amigos e páginas favoritas